Google+ Followers

Total de visualizações de página

terça-feira, 25 de abril de 2017

Fim do jejum: Por que não precisamos mais fazer jejum de 12 horas para exame de sangue?

Acabou o jejum! Brasileiros não precisam mais deixar de comer antes de fazer exames de sangue que verificam os níveis de colesterol e outros do perfil lipídico. A mudança veio com as novas recomendações do Consenso Brasileiro para a Normatização da Determinação Laboratorial do Perfil Lipídico, divulgados no fim do ano passado e elaborado por diversas entidades médicas, como as Sociedades Brasileiras de Patologia Clínica e Medicina Laboratorial, Cardiologia/Departamento de Aterosclerose (SBC/DA), Análises Clínicas (SBAC), Diabetes (SBD) e Endocrinologia e Metabologia (SBEM).

A mudança ocorre depois de estudos mostrarem que comer alimentos antes dos exames, desde que em refeições habituais e sem exagero na gordura, causam uma baixa ou nenhuma interferência na análise do perfil lipídico do paciente. Pelo contrário, há ainda muitos benefícios.

Como as dosagens nesse estado pós-prandial, ou depois das refeições, são mais práticas, elas facilitam a vida do paciente, que perde menos dias de trabalho, diminui o abandono das consultas médicas por falta de exames e melhora até mesmo a avaliação do risco cardiovascular. “O estado alimentado predomina durante a maior parte do dia, estando o paciente mais exposto aos níveis de lípides nestas condições em comparação com o estado de jejum, representando mais eficazmente seu potencial impacto no risco cardiovascular”, conforme indica o Consenso.

O maior benefício, porém, é com relação a alguns grupos de pacientes, como diabéticos, gestantes, idosos e crianças. “Os pacientes diabéticos ficavam em risco de hipoglicemia, devido ao longo tempo sem consumo de alimentos, assim como as gestantes, idosos e crianças. Mas precisamos esclarecer que apesar da liberação dojejum é recomendado o consumo de alimentos em uma refeição habitual e sem sobrecargas”, explica Myrna Campagnoli, médica endocrinologista e diretora médica do laboratório Frischmann Aisengart, que também aderiu às mudanças no jejum.

Além disso, agora não será preciso mais fazer os exames de sangue logo pela manhã, o que sobrecarregava as unidades laboratoriais com pacientes.

Quais exames não precisam de jejum?

Todos aqueles que fazem parte do perfil lipídico do paciente, sendo eles:

– Colesterol Total (CT);

– LDL‐C (colesterol chamado de ‘ruim’);

– HDL‐C (colesterol chamado de ‘bom’);

– não‐HDL‐C;

– Triglicérides (TG).

Nos resultados dos exames haverão novos valores de referência, referentes a quem não fez o jejum. No entanto, só terão valores diferentes os triglicérides. Os valores dos exames que verificam o Colesterol Total, HDL-C, LDL-C e não-HDL-C continuaram iguais.

Quando será preciso o jejum?

Para a maioria dos pacientes o jejum será optativo, mas alguns grupos poderão precisar da restrição alimentar, de acordo com orientação do médico. De acordo com informações do Consenso, o médico será o responsável por avaliar os casos em que o jejum é necessário como, por exemplo, quando o paciente apresentar uma concentração de triglicérides acima de 440 mg/dL, fora do estado de jejum e sendo considerado como referência o nível desejável até 175 mg/dL. (Notícias UOL)

Nenhum comentário:

Postar um comentário