Google+ Followers

Total de visualizações de página

quinta-feira, 4 de maio de 2017

CPR I inova com Rocam e geoprocessamento para combater crimes de roubo em Santarém

A dificuldade de acesso das viaturas em determinados locais será resolvida com o uso das motos pelos policiais que receberam formação em táticas operacionais.
A partir desta quinta-feira (4), o município de Santarém, no oeste do Pará, passa a contar com o policiamento tático de motos baseado em geoprocessamento, para combater os crimes de roubo que vêm tirando o sossego da população. A Rocam (Rondas ostensivas com apoio de motos) é aposta do Comando regional de Policiamento I (CPR I) para identificar os locais e horários onde os roubos mais acontecem, e assim, fazer o enfrentamento à bandidagem.

O lançamento da Rocam acontece às 18h desta quinta-feira, em frente ao Centro Cultural João Fona, na Orla da cidade. Será um evento simbólico, para dar o pontapé inicial aos trabalhos da Rocam em Santarém. De acordo com o coronel Héldson Tomaso, comandante do CPR I, alguns aspectos motivaram o comando regional a utilizar esse tipo de policiamento tático, o principal deles foi o aumento de roubos utilizando motos.

“Observamos que o crime de roubo aumentou em Santarém e na maioria dos casos, os meliantes usam motos. São 23 policiais preparados taticamente para fazer a diferença no combate a esse tipo de crime”, explicou.

O aumento populacional de Santarém em decorrência do fluxo migratório de estados como Mato Grosso e Amazonas, também acenderam uma luz de alerta no comando de policiamento regional que avalia que Santarém praticamente se transformou em uma metrópole regionalizada e que por isso não pode continuar com o policiamento que vinha sendo feito tempos atrás. “A gente tem que acompanhar a evolução e o dinamismo da sociedade, principalmente com o fluxo crescente de pessoas de outros estados. Já prendemos pessoas do Mato Grosso e de Manaus, que estavam vindo para Santarém praticar roubos e outros tipos de crimes”, frisou coronel Tomaso.

O modelo de policiamento tático com motos já é utilizado em várias capitais do país, inclusive Belém, que é referência para o CPR I. A Rocam vai integrar a Companhia Independente de Missões Especiais que será implantada em breve, em Santarém.

Geoprocessamento: Para dar início aos trabalhos da Rocam, o CRP I fez um levantamento minucioso dos locais (bairros, ruas, logradouros) com maior incidência de roubos e horários em que o crime mais acontece. De posse dessas informações, foi feita a ordem de serviço que as equipes vão cumprir na primeira semana, começando nesta quinta-feira (4).

Ao final da primeira semana, os policiais vão reunir com o comando do CPR-I para uma avaliação e repassar as informações que conseguiram levantar em campo para que os dados sejam geoprocessados e auxiliem nas próximas ordens de serviço da Rocam. Na observação de campo, os policiais vão verificar, por exemplo, o que está facilitando o roubo naquela área: se é uma parada de ônibus mal iluminada, terrenos baldios, pessoas manuseando celular em via pública.

Para o comandante do CPR I, a população vai ver uma atuação muito mais qualificada e aprimorada do patrulhamento com motos. Esse aliás, é um diferencial, pelo dinamismo que as motos oferecem no deslocamento, pois conseguem adentrar espaços e terrenos de difícil acesso para outros tipos de viatura. “Os policiais conseguem chegar muito mais rápido aos locais de ocorrências, conseguem atuar de uma maneira mais dinâmica e mais surpreendente, e assim a gente tem uma produção muito maior com o mapeamento do crime, sabendo onde ele está acontecendo”, pontuou.

http://g1.globo.com/pa/santarem-regiao/noticia/cpr-i-inova-com-rocam-e-geoprocessamento-para-combater-crimes-de-roubo-em-santarem.ghtml

Nenhum comentário:

Postar um comentário